sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Dicas de como arrumar a mala

Como arrumar a mala

Antes de tudo verifique qual o clima local e leve apenas as peças utilizadas para este clima e uma ou duas peças em caso de mudanças de clima.

Evite fazer as malas um dia antes, para não levar roupas desnecessárias por medo de esquecer algo.

Faça rolinhos com as roupas para não formar vincos.

Escolha peças de tecidos que não amassam. Quando chegar ao hotel, coloque as roupas em cabides e pendure-as no banheiro durante o banho, pois o vapor ajuda a tirar as dobras.

Coloque os sapatos em sacos próprios e coloque-os próximos das rodinhas.

Ao selecionar os acessórios, escolha peças simples que possam ser usadas em diversas situações.

Preencha os espaços vazios com meias, echarpes, toucas, cachecóis e outras peças menores. Eu costumo colocar as meias dentro dos sapatos para não ocuparem mais espaço.

Não esqueça de etiquetar todas as malas. As etiquetas devem conter nome completo, telefones, hotéis e etc.

Não se esqueça de retirar todos os códigos de barras da mala, caso tenha usado em alguma outra viagem anteriormente. Esse código serve para direcionar sua mala nas esteiras. Portanto, se esse código de outras viagens permanecer na mala, ela pode se extraviar.

Leve duas blusas para cada calça ou saia. “Não é necessário ter uma roupa para cada dia de viagem. Faça o máximo de combinações com o menor número de peças”, ensina a consultora de moda Paula Martins. 

Prefira partes de baixo escuras, que são fáceis de coordenar e podem ser usadas mais de uma vez. 

Aposte em lenços, colares e cachecóis coloridos. Eles ocupam pouco espaço na mala e fazem a diferença na produção. 

Se você sempre tem dúvidas na hora de se vestir, faça uma lista com todas as composições possíveis para não perder tempo durante a viagem

Roupas sujas devem ser colocadas em saquinhos para que não se misturem com as roupas limpas.

Embale produtos líquidos em saquinhos plásticos, para que se ocorra vazamento, não suje as roupas.

Em uma bolsa de mão, leve os óculos, a câmera fotográfica, a escova e o creme dental, lembrando dos documentos, dinheiro e passagem. Não se esqueça de que não pode levar objetos cortantes e nem frascos com mais de 100ml.

Se faltar algo, compre quando chegar ao seu destino. Mas, uma dica de ouro: procure saber antes os preços locais. Da última vez que viajei esqueci de levar esmalte e acetona. Para minha surpresa, um esmalte custava mais de 20 vezes o preço daqui no Brasil.

Outra dica é levar algumas peças não muito novas ou que você só iria usar mais uma ou 2 vezes, no caso de você querer comprar alguma peça nova e precisar de espaço na mala. Assim, você descarta a peça antiga antes de viajar e tem espaço para as novas.

Então, é isso. Espero ter ajudado. Boa viagem!

sábado, 5 de setembro de 2015

Blue Tree Park Lins

Comemorei meu aniversário no Blue Tree Park de Lins. É um resort com uma piscina enorme e aquecida. O lugar é muito gostoso, a estrada é boa e é perfeito para descansar. Sempre tem atividades para os adultos e as crianças. E para completar o tempo estava maravilhoso! Sol a semana toda.

A comida é ótima e por ser resort a bebida está incluída se consumida dentro do restaurante. só precisa ficar atento no fechamento da conta, porque se eles perceberem que você saiu com alguma bebida do restaurante, irão cobra-la.

O único probleminha que tive foi a terceira cama do quarto. Talvez porque o hotel estava lotado, colocaram uma cama desmontável de solteiro no quarto para a terceira pessoa e a cama quebrou, mas providenciaram uma outra do mesmo tipo. O ideal teria sido uma cama fixa, mas enfim, nada é perfeito.






Curiosidades da Austrália

Sempre que viajamos, fazemos comparações. É inevitável. A gente sempre tem alguma coisa pra contar da viagem, seja pelas experiências que vivemos, seja pelas diferenças culturais. Cada local desse planeta tem suas particularidades, mesmo com a globalização, que tudo tenta nivelar e pasteurizar. Pela minha curta passagem por Sydney, algumas coisas me chamaram a atenção e vou aqui compartilhar aqui 10 delas.

1 - Dinheiro

Não vou falar da taxa de câmbio, mas do material que é feito o papel moeda da Austrália. Ele é feito de uma material que pode ser molhado, que não estraga, é de plástico ou plastificado. Engraçado que, ao contrário do Brasil, nas praias australianas não tem vendedor ambulante e criaram uma moeda perfeita pra ser manuseada nesse ambiente.

2 - Mão de direção na Austrália


Na Austrália a mão de direção fica do lado esquerdo e o motorista se senta do lado direito do veículo, como na Inglaterra. Por isso, ao atravessar a rua, cuidado! Na dúvida olhe para os dois lados, porque vai dar um nó na sua cabeça, por conta da força do hábito. Já ouvi alguns casos de gente ser atropelada por conta dessa distração. Andar na rua do lado esquerdo não é regra, talvez porque na Austrália existam muitos imigrantes, muita gente não respeita o fato de ter que andar do lado esquerdo da calçada. Mas, nas escadas rolantes sim essa regra é válida. Nada de ficar parado na direita batendo papo com o amigo. Ah, e atravessar no farol vermelho, mesmo sendo pedestre, pode lhe custar uma multa (fine, como eles dizem).




3 - Segurança


Como é sabido por todos que visitam o país, Sydney é uma cidade bem segura. Câmeras de monitoramento estão espalhadas por todas as ruas e locais públicos. Nada escapa ao Big Brother. Talvez por isso não vemos muitas viaturas e policiais gastando gasolina ou andando entre as pessoas com aquele ar de repressão. Eles normalmente aparecem quando existe alguma suspeita. Ouvi dizer que muitos andam à paisana.

4 - Comidinhas

Esse merece um capítulo à parte, então fiz um post só de guloseimas. Que pode ser visto aqui.

5 - Cangurus

Gente, como é difícil encontrar canguru! Só nos parques ou zoológicos. Não vai pensando que eles ficam soltos nas áreas urbanas, como os esquilos de Nova York. E os australianos não falam muito deles, ao que parece não gostam dos bichinhos porque causam acidentes nas estradas, mas no geral os australianos não comentam muito sobre eles. Mas são muito fofos! O pelo deles é macio e são muito bonzinhos. Mas, muitos que visitam o parque dão pão de forma pros bichinhos comerem. Maldade, eles engasgam e ficam doentes. Convenhamos, pão branco não faz bem nem para os seres humanos, quanto mais para os animais.



Esse aí de cima é do Morisset Park, um local afastado a 4 km da estação de trem mais próxima. Altamente recomendável ir de carro ou taxi.

Map of Morisset Park NSW 2264, Australia

6 - O inglês dos australianos


Se você sabe um pouco de inglês, mas não pratica muito ou só assiste filme americano, vai estranhar o inglês dos australianos e vai ficar perdido num primeiro momento e estranhar algumas palavras.
Algumas vezes você vai pensar: 'O que ele quis dizer, mesmo?'.
Os australianos têm um costume de contrair as palavras, quase como uma gíria. Até na publicidade eles usam frases com palavras diminuídas.
Alguns exemplos:

McDonalds = Macca
Hard worker = hard yacca
Afternoon = Arvo
Flip flop = thong
Barbecue = barbie


7 - Clima


O clima na Austrália é bem parecido com o do Brazil, mas com uma pequena diferença no inverno, que faz toda diferença para os desavisados: venta pra caramba e é um vento de rasgar a alma de tão frio!!! Por isso, esqueça aquela malha de lã que você usa em São Paulo. Um bom casaco impermeável, luvas, gorro e cachecol, tudo a prova de vento são uma boa pedida. E por baixo uma roupinha leve, porque nos locais internos o ar condicionado não costuma ser forte. Nos dias em que o vento dá trégua, o frio mais intenso costuma ser na parte da manhã e à noite, como em São Paulo.
Ah, itens importantes são os óculos escuros, porque o sol brilha forte juntamente com um bom protetor solar. E uns creminhos, porque o clima é seco.





8 - Vaidade e Esportes


Os australianos e australianas não são vaidosos como os brasileiros e brasileiras. Não se vê ninguém ostentando um visual montado e caro. E ninguém repara se você está mal vestida e com a unha por fazer. Adooorei! Talvez por isso ou apesar disso, os produtos e serviços de beleza sejam tão caros. Mas, eles são na maioria, esbeltos. Talvez porque levam o esporte muito a sério. É um país que dá muito apoio à prática de esportes. Em Sydney fiquei impressionada com a quantidade de piscinas públicas e aquecidas! Até mesmo as piscinas comerciais com a da Ian Thorpe Center pode ser usada por um precinho módico de 2 dólares por visita para quem não é associado. Aulas de surfe são bem comuns e as ciclovias são seguras e bem feitas, não são uma simples pintura cobrindo buracos no asfalto.
Ian Thorpe Aquatic Center

9 - Individualidade


Pra quem é brasileiro, essa curiosidade pode parecer um pouco estranha. Os australianos respeitam a individualidade alheia, por isso não é comum as pessoas se tocarem enquanto conversam. Também não é comum tocar um estranho na rua, como aquela clássica batidinha no ombro que damos nos ombros de estranhos para perguntar alguma coisa. Utilizar um simples sorry para chamar a atenção ao fazer a pergunta já está de bom tamanho. As pessoas também não te encaram pra reparar na sua roupa e no seu cabelo, como fazem no Brasil. Isso é meio constrangedor. Portanto, devagar com o andor, que o santo é de barro. Contenha os ímpetos. Observe antes de agir.


10 - Arquitetura


Como uma engenheira civil, eu não poderia deixar de comentar sobre a arquitetura da cidade. Sydney está parecendo um grande canteiro de obras, principalmente por conta da construção do Exhibition Center.


Em Sydney a antiga arquitetura é respeitada e, ao contrário de São Paulo, as novas construções são levantadas sem que as antigas venham abaixo.




Outra coisa que me chamou a atenção foi a cobertura do Opera House, executada inteiramente em placas de cerâmica. Segundo minhas pesquisas, foram assentadas nessa cobertura mais de 1.000.000 de placas cerâmicas. Simplesmente incrível! 







Comidinhas na Austrália

Tim Tam

Arnott's tim tam original
Gente, não dá pra visitar a Austrália e não provar o Tim Tam se você é chocólatra. Não tem nada a ver com Bis, é muito mais gostoso. O meu preferido é o Double Coat. E dá pra fazer receitas com esse biscoito coberto com chocolate. No site do fabricante tem uma página só de receitas! Delicious.

Vegemite


Ao contrário do Tim Tam, não recomendo o Vegemite. Não provei, não tive coragem, depois de ter lido e ouvido várias experiências ruins sobre essa pasta salgada. Quem já foi para a Inglaterra deve conhecer o Marmite...Bom, gosto não se discute. Quem sabe da próxima vez eu tento. Nem trouxe na mala. Enfim, whatever.


Lindt


Mais uma dica para os chocólatras: Uma boa pedida pra quem vai estar por lá no inverno é a Lindt. Chocolates que não custam um rim como em São Paulo e sempre tem alguma promoção. Nos supermercados também tem Lindt por preço acessível.


Fish and chips


Uma perfeita combinação importada da Inglaterra e é um prato bem comum de se encontrar até mesmo nos Pubs.

Cafeterias e Pubs


Pra quem gosta de um cafezinho, tem muitas cafeterias, e Pubs pra gosta de uma cervejinha. Nos pubs só tomei cidra, pois não sou fã de bebida amarga. E cafeterias são um pouco caras, mas necessárias no frio medonho que faz no inverno.

Chocolate quente do Guylian

Carne de canguru

Tadinho do canguru. Eles não se intimidam em comer a carne dos bichinhos e é bem comum venderem nos açougues e supermercados. Tem até hamburguer de canguru. Mas, não tive coragem de provar, gente. Deixa pra próxima vez. Tenho que tomar coragem.


Barbecue

Os australianos gostam de um churrasco e em Sydney é bem comum ver churrasqueiras elétricas nos parques. Você leva a carne e a cerveja e passa uma tarde bem gostosa com os amigos. E o que é melhor: os parques não são lotados nos finais de semana como em São Paulo. Em Sydney não se vê disputa de espaço, como em São Paulo. O que é, sem perder de vista, um grande diferencial.


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Intercâmbio na Austrália


Engana-se quem pensa que intercâmbio é apenas para universitários jovens em torno dos 20 anos.
Fui estudar na Austrália por 3 semanas aos 45 anos! E, pasmem, encontrei uma senhora brasileira estudando lá também, com 65 anos!
O mundo mudou em relação à regras pré-estabelecidas. Graças a Deus. Quem te julga é infeliz, vai por mim. Esqueça as regras, as pessoas se casam ou têm filhos mais velhas, voltam a estudar na maturidade, viajam e não têm medo de serem felizes!
Sim, minha gente, não morra sem ir atrás dos seus sonhos. Não se apegue às regras sociais, até porque aqueles que ditam regras jamais vão querer pagar suas contas.
Voltando ao intercâmbio, posso dizer com certeza absoluta de que foram as 3 semanas mais proveitosas da minha vida. Uma experiência diferente de somente viajar. Conhecer pessoas de outros países, de diversas idades, trocar experiências e saber que ainda pode aprender, apesar da idade, é maravilhoso.
Se você acha que passou da idade e tem vontade de aprender um novo idioma, não se reprima, vá em frente, pergunte, pesquise, deixe qualquer preconceito de lado. Seja feliz!